quinta-feira, 30 de junho de 2016

Três pontos chaves que afetam a sua felicidade:


1) A forma como você interpreta o tempo.
2) O nível de dependência que você coloca num relacionamento.
3) O grau de sua espiritualidade
Você olha para o passado com ressentimento ou com gratidão?
Você está inteiro no momento , na atividade do agora ou voltado para algo que já passou ou ainda não aconteceu?
Você projeta um futuro excitante ou teme o seu futuro?
A forma como você define estes tempos vai afetar diretamente as suas sensações e emoções de felicidade.
Nos relacionamentos se a reação e escolhas dos outros tiram você do seu centro, o tornando vulnerável , você é dependente da forma como o outro lhe trata para ser feliz. Não criou um propósito unicamente seu que possa ser seu centro e impulsionador da sua felicidade própria.
Ter a certeza que algo maior arquiteta o seu melhor e a aceitação dos misteriosos caminhos do destino, faz com que você se sinta conectado e protegido, um sentimento essencial para se sentir feliz. A ausência desta conexão, faz você muitas vezes se sentir perdido ou abandonado.
Reflita sobre a forma como você lida com estas CHAVES , pois são elas que abrem as portas para uma vida mais feliz.


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Tudo na vida é linguagem.


Por: Flavio Siqueira
O homem carrancudo, inquieto, expressa no corpo a linguagem da alma. A senhora amorosa caminhando com dificuldade, cuidando do neto distraído com as pombinhas na rua, aqueles corpos, aqueles dois, são códigos de comunicação, são mensagens, mas não sabem que são.

A vida tem muitos jeitos de se comunicar. A mata fechada, misteriosa, isolada, fala com a eloquência de cada movimento aparentemente sem nenhum significado. Quando o sol aparece há música, os pássaros ouvem e se alegram. À noite, com a chegada da lua, a Terra inteira fica exposta a uma sinfonia de sons, cantos de bichos noturnos, timbres sutis e constantes invadem o ar e são acolhidos pelo vento que os espalha por todos os cantos.
Quem pode ouvir as lições que o dia ensina à noite? Expressões silenciosas de sabedoria que passeiam pelo ar e pousam no mar, mergulham, visitam os peixes, alimentam os bichos marinhos e sobem, voam baixo sobre águas salgadas e geladas, penetram ondas e se elevam até que as nuvens sejam preenchidas e se dissolvam como chuva que cuida da terra, que alimenta humanos.
Humanos e suas poesias, suas músicas, suas palavras que decodificam parte do que está em todos os lugares. Humanos expostos à comunicação infinita de vida que preenche corpos de carne e sangue e faz com que amem, se expressa em animais, gera perfume de plantas, abastece oceanos, mundos profundos. Tudo na vida é linguagem, mas nenhuma linguagem contém o que é.
Expressões de mistério que chamamos de Deus, de vida, de amor, que tentamos enquadrar em códigos para depois dissecá-los, dominá-los e dizer “agora eu sei”.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Aprendendo a viver com um pouco menos....

As pessoas que aprenderam a viver com pouco sempre saberão viver bem em qualquer situação. Aqueles que só aprenderam a viver com muito, quando surgir a menor dificuldade ou falta, logo se perderão e entrarão em pânico. São pessoas que se misturam e se perdem em seus excessos, e obviamente, que na falta deles, não conseguirão mais se encontrar em si mesmas. Não há como saber e não há garantias que continuaremos tendo ou não o que temos, no futuro, mas se abrirmos nossos olhos para o que é essencial e realmente importante a nós, sempre viveremos bem, independente da circunstância. Seja no muito ou no pouco, não haverá sentimento de falta.
Mesmo que você tenha muito, aprenda a viver com um pouco menos, saindo um pouco desta necessidade constante de aquisição e consumismo que se tornou um hábito, cuja recompensa é seu prazer. É preciso sentir prazer em você mesmo e assim criar um outro hábito mais libertador. Todo excesso é energia acumulada que trava nossa vida, e quem vive de excessos está sempre sentindo falta de si mesmo, ou até nem sabe o que é estar consigo próprio, pois sempre se fundiu a um acúmulo de coisas, situações e pessoas. Nunca se permitiu desapegar um pouco de tudo isso para entender que se a falta é de nós próprios, nada nem ninguém conseguirá preencher este espaço vazio.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...